terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Análise da Música "Os Sonhos de Deus", de Ludmila Ferber


[Escrevi esse texto a irmãos de um grupo de louvor de uma igreja histórica que queriam incorporar a referida música aos cânticos congregacionais de sua igreja local. Acredito que, por isso, os leitores reformados hão de compreender minha parcimônia.]

Se tentaram matar os teus sonhos
Sufocando o teu coração
Se lançaram você numa cova
E, ferido, perdeu a visão
Não desista, não pare de crer
Os sonhos de Deus jamais vão morrer
Não desista, não pare de lutar
Não pare de adorar
Levanta teus olhos e vê:
Deus está restaurando os teus sonhos
E a tua visão
Recebe a cura
Recebe a unção
Unção de ousadia
Unção de conquista
Unção de multiplicação


Análise

A música fala sobre uma pessoa que está sendo ameaçada de ver os seus sonhos mortos e o coração sufocado; que foi jogada ferida e sem visão dentro de uma cova. A autora, então, encoraja tal pessoa a não desistir; a não deixar de crer; não parar de lutar, de adorar; a levantar os olhos e ver que Deus está restaurando os seus sonhos e a sua visão, pois “os sonhos de Deus jamais vão morrer”. A seguir ela declara que a pessoa receba a cura e a unção de ousadia, de conquista e de multiplicação.

A começar pelo título a música já comete um erro teológico gravíssimo: o de afirmar que Deus sonha. Essa afirmação (“os sonhos de Deus jamais vão morrer”) não encontra sustentação bíblica nem teológica. Quando afirmo que Deus “sonha” eu estou tirando-O da sua posição de soberania e reduzindo-O à categoria de ser submisso. Deus não sonha, Ele age (“E disse Deus: ‘Haja luz’. E houve luz” – Gn 1.3); Deus não sonha, Ele determina (“Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nenhum deles havia ainda” – Sl 139.16). Portanto, devemos ter muito cuidado em atribuir metáforas a Deus que não se harmonizam com os seus atributos.

Esse erro que acabamos de detectar puxa um outro, que é o de tornar Deus passivo na história e o homem senhor dela. Note que, na música, o sujeito não é Deus, e sim, o homem. Ou seja, para que as coisas aconteçam é preciso que você, e não Deus, tome a iniciativa. Esse pensamento, que na realidade é uma doutrina, é conhecido como “Confissão Positiva”, que prega que você deve ter um pensamento positivo para ser vitorioso. A autora apela para os sentidos do ouvinte, e não para a razão, ao usar palavras como “sonho”, “coração”, “visão”, “cura” e “unção” para indicar que atitude se deve tomar diante das dificuldades. Além disso, parece haver aqui uma pitada de “batalha espiritual” (“não desista, não pare de lutar”), que é um tema bem presente nos grupos denominados neopentecostais.

O refrão é o expoente máximo de toda a teologia contida no restante da música, pois nele estão os seus elementos essenciais. “Recebe a cura/ recebe a unção/ unção de ousadia/ unção de conquista/ unção de multiplicação”: aqui estão algumas das palavras-chave do movimento conhecido como G-12 (Grupo dos 12, em referência aos doze apóstolos), do qual a autora é adepta (assim como Diante do Trono, David Quinlan e outros). Receber a cura, aqui, significa ter a “visão dos 12”, frase bastante usada por esse grupo; receber a unção pode significar, dentre outras coisas, receber o título de apóstolo, como o fazem muitos dos líderes do G-12, para não dizer todos, ou mesmo uma capacitação especial; unção de ousadia significa não medir esforços para combater os principados e potestades, fazendo com que o evangelho seja pregado, não importa de que forma; unção de conquista significa, por exemplo, declarar que “o Brasil é do Senhor Jesus”, conquistando as regiões celestes que estão dominadas pelas hostes malignas, por meio de “Marcha pra Jesus” e coisas do gênero; unção de multiplicação significa igreja em células, método de crescimento das igrejas neopentecostais que adotam a filosofia do G-12 (uma célula contém doze pessoas; cada célula tem um líder; doze células são lideradas por um pastor-supervisor, e assim sucessivamente).

Para concluir gostaria de dizer que o desejo de encorajar a um irmão que está passando por dificuldades, sejam elas materiais ou espirituais, é absolutamente legítimo, e a música tem um papel muito importante nisso. Mas quando ela ultrapassa certos limites impostos pela própria Palavra de Deus e presume ser usada nos cânticos congregacionais é necessário que se analise se realmente ela se encaixa nos padrões confessionais da igreja, desde que os mesmos sejam bíblicos.

Leonardo Bruno Galdino

.


Share |

15 comentários:

Aldair R. Rios disse...

A má qualidade das músicas evangélicas da atualidade é de dar medo, a falta de conteúdo bíblico e uma visão teologica inconsistente, é a causa primária de problemas que a igreja vem enfrentando na área musical...que Deus venha nos conceder graça pra discernir quais hinos devemos escolher para serem entoados pela sua igreja.

Soli deo glória ...quando puder meu irmão visite meu blog...

Anônimo disse...

Meu amado, irmão em Cristo, gostei da iniciativa de fazer um analise teologica sobre essas musicas que invadem nossos cultos.Sugiro que continue. E estou adicionando seu blog no favoritos para todod dia dar uma lida.
Um grande abraço.
Daniel Batista Mendes

Leonardo Bruno Galdino disse...

Caro Aldair, caro Daniel

Obrigado pelos comentários. Espero continuar analisando músicas regularmente, no intuito de oferecer aos leitores uma visão mais abrangente dos cânticos que se cantam nas igrejas de hoje. Desde já, é bom que fique claro que faço minhas análises sob a perspectiva reformada.

Abraços!

Anônimo disse...

Parabéns, caro irmão Leonardo.

Como é bom ver irmãos tão dedicados assim como vc. Aliás, com mais irmãos como vc satanás pode finalmente ficar parado, somente olhando, pois dentro da igreja já existe inimigos suficientes e ele não precisa atuar. Que o amor genuino do Senhor o alcace e a misericordia do Deus altissimo faça um milagre nesse coração tão necessitado dEle.

Marcos Aurélio Melo disse...

Muito bem, parabéns pelo discernimento bíblico que soube aplicar para apontar desvios doutrinários na letra deste "hit gospel".
Se todo hit se torna música congregacional nas igrejas, o evangelho será cada vez mais diluído.
Aproveite e visite também o meu blog.
http://marckmelo.blogspot.com

Karina disse...

Gostaria de comentar a respieto do que o Leonardo Galdino de Recife citou..." Contudo, penso que a melhor descrição que eu poderia fazer de mim mesmo é a que segue: "Não tenho outro nome, senão o de pecador; pecador é meu nome; pecador, meu sobrenome";

Eu não concordo pois Deus Morreu na cruz por nós para nos fazer Santos, então somos Santos lutando contra o pecado e não lutamos sendo pecadores para ser Santos;

Anônimo disse...

Querido irmão!

Sua iniciativa de analisar as letras das músicas que cantamos é louvável, pois precisamos aprender a pensar sobre aquilo que cantamos, dizemos ou escrevemos em nome do Senhor. Porém, devo dizer que a maioria das coisas que você escreveu partem de uma interpretação pessoal sua. Você criticou movimentos (G-12, Marcha para Jesus e coisas do gênero), pessoas e grupos(Diante do Trono, David Quinlan e outros), porém não citou nada das escrituras para validar aquilo que você disse, nem um texto biblico e os que você citou são versículos isolados e que não me convenceram nem um pouco daquilo que você apresentou.
Faltou Bíblia no seu comentário. Devemos julgar à luz das Escrituras e não apenas criticando coisas que nós não concordamos. Só a nossa opinião não basta, precisamos que o Espírito Santo e a Palavra de Deus nos conduza à verdade de Cristo.
Quero deixar claro que não sou adepto do movimento G-12 e jamais participaria dele. Sou Batista e por conta disso prezo muito pela Palavra de Deus, mas não me considero melhor que ninguém por ser Batista.

Mais uma vez, parabéns pela iniciativa de analisar as músicas que entoamos e receba minha palavra com carinho, pois, apesar de não conhecê-lo, vejo o seu zelo pelas coisas de Deus.

Lembre-se: nas próximas análises mais Deus e menos você.

Ósculos e Amplexos.

Valfrido

Anônimo disse...

Tu é muito inteligente visse!!!!

Deus continue te abençoando, e nos ajudando com as tuas teses teologicas.

Josias Sillva (Seu irmão em Cristo)

João Mauricio disse...

Bastante pertinente e edificante....Gostaria de informações sobre site, blog ou outros onde possamos verificar mais informações como estas...

se puder me escrever
jmaubp@yahoo.com.br

Vinicius Beserra disse...

Não concordo com você. A letra dessa música é basicamnete a história da minha vida. Nem tudo está na Bíblia. Creio que a autora da música que vem de uma linha de cura interior foi e é poderosamente usada por Deus para ministrar nos corações feridos. Até hoje tentam matar os meus sonhos. Acredite que nem tudo está na Bíblia de forma literal. Você sabia que Davi era filho bastardo?

Vinicius Beserra disse...

Espero que o meu comentário seja aprovado.

Leonardo Bruno Galdino disse...

Vinícius,

o fato de essa música ser basicamente sobre a história da sua vida não ajuda em nada. Tudo aquilo que é a "história da minha vida" e não se coaduna com as Escrituras devo repelir de pronto. Mas gostaria que você explicasse melhor o que quer dizer por "nem tudo está na Bíblia".

binho disse...

Que mania que vcs tem de julgar as pessoas como
se tivesse autoridade pra isso, vc é tão cego em
julgar que tua análise é pouco inteligente, não interprete as canções ao pé da letra, já leu as
parábolas no novo testamento? vc pertence as
mesmas pessoas que julgava as atitudes de Jesus
aqui na aqui na terra, que feio irmão, pare de julgar e faça também a tua parte.

ke. disse...

Querido! Estou achando mais do que nunca que nós devemos esquecer de perseguir irmãos que estão levando a palavra do Senhor para os cativos e oprimidos! O amado deveria usar a sua teologia para ajudar a nossa irmã! Creio que existe lugares onde os louvores dela não chegou aos ouvidos de pessoas necessitadas da palavra do Senhor,por que o amado não a ajuda? Em 1 Cor. Está escrito: sede meus imitadores,como também eu sou de Cristo! Será que Cristo perseguiria uma filha Dele ( no caso do irmão, a sua irmã?) Devemos nos preocupar com pessoas que ainda não conhece a palavra do nosso Senhor! Apesar que eu acho que o próprio irmão está fazendo com que o louvor dela seja mais real! Tentando jogá-lá em uma cova! Vamos parar com isso! Quando vemos um louvor que não nos agrada, vamos conversar com o Espirito Santo, que ele se encarrega de purificar as nossas mentes e corações! É melhor vermos pessoas sendo salvas ouvindo a palavra que eu creio que foi Deus que deu a ela, do que pedras que são lançadas e que machucam, não só a sua irmã, mas aqueles que foram salvos e curados através da palavra que Deus colocou na boca dela! Que a paz do Senhor reine nas nossas vidas

ke. disse...

Espero que amado tenha a sabedoria correta que vem de Deus! Pois que, coloca as suas opiniões, faz um blog está com o caminho aberto não digo para criticas pois vejo que isso que o irmão fez a uma pessoa usada por Deus! Mas que o amado venha conseguir ter olhos abertos para aceitar!

Postar um comentário

Muito obrigado por comentar as postagens. Suas opiniões, observações e críticas em muito nos ajuda a buscar a qualidade teológica naquilo que escrevemos. Se for de opinião contrária, não ofenda - exponha sua perspectiva educadamente. Comentários anônimos não assinados ou desrespeitosos não serão publicados. Todo debate será bem-vindo!

Que Deus o abençoe!