terça-feira, 21 de julho de 2009

Ilustrações do cotidiano* - "O desfibrilador espiritual"

Na organização militar em que trabalho chegou-nos, recentemente, um equipamento bastante utilizado nos hospitais (especialmente nas “Emergências”): o desfibrilador. Para quem não sabe do que se trata, basta lembrar-se daquelas cenas de filmes e novelas em que o médico aplica um “choque” no paciente para tentar reanimá-lo (ou veja a foto ao lado, é mais fácil!). O médico do quartel nos dava instruções gerais sobre o equipamento, como suas características, finalidade e manuseio. Referindo-se à finalidade do desfibrilador, o médico nos falava que ele serve, em resumo, para “tentar reanimar uma pessoa que tenha desfalecido”.

Fiquei a refletir sobre a necessidade de um “desfibrilador espiritual”. O número de pessoas que estão desfalecendo na fé não é menor do que o número de pessoas que estão desfalecendo por motivos de saúde (física, nesse caso). Aliás, é perfeitamente possível alguém não estar sucumbindo fisicamente e mesmo assim estar definhando espiritualmente. O contrário também é verdade. Há muitos que, apesar de estarem num leito de hospital, muitas vezes até como pacientes terminais, estão com sua saúde espiritual em perfeitas condições. Mas o fato a lamentar é o de pessoas que estão dentro das igrejas e, contudo, parecem mais moribundas do que sãs. Para as tais existem vários tipos de “desfibriladores espirituais” que podem livrá-las de tal letargia: a disciplina, seja ela preventiva ou até mesmo corretiva; a chamada para uma vida de piedade e quebrantamento diante de Deus, o que nem sempre acontece por meios “agradáveis”; as provações; as perseguições, dentre tantos outros instrumentos usados pelo Pai para forjar em nós o caráter por Ele requerido. São choques que realmente funcionam! Se não funcionar é porque o indivíduo já está morto (espiritualmente falando, são natimortos – nunca foram salvos de fato). Quando o choque surte efeito, não devemos atribuir os méritos da reanimação a nós mesmos. Assim como o manuseio do desfibrilador está fora do alcance do paciente, o “desfibrilador espiritual” está longe de funcionar por nosso querer. E é justamente aqui que o orgulho espiritual se constitui num grande inimigo de nossas almas, pois, além de achar que a reanimação se deu por conta do próprio paciente, também pode nos impedir de ver que um dia podemos precisar de um “desfibrilador espiritual”, e de que tal "equipamento divino" não foi feito somente para alguns crentes. Para aqueles que teimam nesse orgulho, o “Ministério da Saúde Espiritual” adverte: “aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia” (1 Co 10.12)!

Soli Deo Gloria!!!

_____________________________________________________________________
Pretendo escrever essas ilustrações em série ("Ilustrações do Cotidiano", que tal?), baseadas em fatos que me acontecem no cotidiano e que me possibilitam enxergá-los como algo mais do que meros fatos.

Share |

4 comentários:

Danilo Neves disse...

A Paráfrase do Ministério foi um dos assuntos que tive recentemente com um pastor. Jovens que dizíamos: "Vai lá na igreja tal que lá tem um jovem muito firme!", são os que hoje dizemos: "O que que aconteceu com ele??". Um se casou a pouco tempo e até tomar a ceia do Senhor no casamento de de "guti-guti" ele fez.

O desfibrilador (a Palavra) é eficaz, graças a Deus! Quando ele é usado pelo Senhor, ninguém resiste ao seu poder.

Obs.: Dialoguei com o pr. Ciro, mas é difícil. Ele foge da carta de Rm.

Leonardo Bruno Galdino disse...

Caro Danilo,

Há muitos outros tipos de "desfibriladores" que Deus usa para nos corrigir, mas não quis ser muito exaustivo nesse post. A intenção dessas "Ilustrações do cotidiano" é tirar lições dos fatos corriqueiros e expressá-las em poucas linhas (na medida do possível, é claro!).

Quanto ao Pr Ciro, bem... Realmente ele só faz fugir de Romanos e de outros textos que provam o contrário das suas ideias. Mas, como eu te falei, ele é semi-pelagiano, e não se pode esperar muita "firmeza" (kkk) desse tipo de perspectiva, e sim, obstinação.

Um grande abraço!

História em Debate disse...

Meu caro irmão Bruno, muito boa a reflexão. Infelizmente estamos vivendo dias de profundo desânimo espiritual. E o pior é que a falta de compromisso tem acontecido entre muitos que se intitulam reformados. Muitos desses: leem, falam... Mas vida com Deus ZERO. Esquecem que Calvinismo não é um conjunto de doutrina para ser memorizado, mas acima de tudo um estilo de vida. Que o Senhor tenha misericórdia de nós. Sim, estou com novo nº 3446-9861. Abraço.
Rev. José Roberto de Souza

Danilo Neves disse...

Irmão, eu pirei pro pr. Ciro!!!!! O cara ensina naquele blog dele que Judas Iscariotes foi salvo kkkkkkkk... O Capeta riu e muito.

Mas, vamos tentar cercar ele em Romanos, se é que ele não vai espanar rsrsrs

Abraço e vamos pro combate. Que o Senhor nos ilumine e abra tb a mente do irmão Ciro.

Reconhecer a predestinação só é possível unicamente pelo Espírito, que assim revela essa verdade. Amém!

Postar um comentário

Muito obrigado por comentar as postagens. Suas opiniões, observações e críticas em muito nos ajuda a buscar a qualidade teológica naquilo que escrevemos. Se for de opinião contrária, não ofenda - exponha sua perspectiva educadamente. Comentários anônimos não assinados ou desrespeitosos não serão publicados. Todo debate será bem-vindo!

Que Deus o abençoe!